Category: Notícias

O projeto levará formações presenciais e online para professores e coordenadores pedagógicos de escolas públicas de diferentes regiões do país.

Com base na Educação para a Sustentabilidade nasce o EcoAtivos, o projeto procura ampliar a consciência e o conhecimento da comunidade escolar sobre hábitos e atitudes sustentáveis. Inscrito pelo Alana, por meio do programa Criança e Consumo, no edital do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente – PNUMA, ligado ao Programa de Estilos de Vida e Educação Sustentáveis, o projeto foi aprovado em 2016.

Com formações presenciais e online, os professores serão incentivados a estimularem seus alunos na realização de atividades que relacionem a realidade local com o consumo sustentável, o meio ambiente e as mudanças climáticas. Participarão do projeto 500 escolas do Ensino fundamental I, em sete cidades brasileiras:  Belém (PA), Brasília (DF), Canoas (RS), Novo Hamburgo (RS), Porto Alegre (RS), Salvador (BA) e São Paulo/SP– atingindo mais de 2,5 mil professores, entre 2017 e 2018, em parceria com as Secretarias Municipais e Estaduais de Educação.

Segundo a coordenadora do EcoAtivos, Mônica Borba, “o EcoAtivos busca modificar estilos de vida atuais e futuros, incentivando crianças a se tornarem agentes de transformação. As formações pretendem impactar os professores, apoiando-os com ferramentas e oportunidades de disseminação de boas práticas”.

Saiba mais do projeto no site: ecoativos.org.br

Acesse a notícia em INGLÊS.

Texto e fotos: Laura Leal

O Criança e Natureza embarcou no dia 16 de setembro para uma Missão Técnica em Freiburg, na Alemanha. Com uma delegação de 17 brasileiros comprometidos com os temas, criança, natureza e cidades, o programa do Alana foi descobrir o que faz de Freiburg uma cidade amigável às crianças. Durante uma semana, o grupo visitou iniciativas e conheceu alguns dos atores que trabalham para criar espaços que respeitem a infância e valorizam o contato com a natureza.

Bairro de Vauban (Foto: Laura Leal)Entre as experiências locais, está o bairro de Vauban, um modelo de distrito residencial sustentável, planejado para ter baixo consumo de energia, pouca circulação de carro e ruas em que crianças, bicicletas e pedestres possam conviver em harmonia. No bairro há algumas áreas verdes chamadas de grünspange, são espaços de convívio ao ar livre com recursos naturais e alguns parquinhos que permitem a criança brincar livremente em contato com a natureza. A segurança por lá é garantida pelo “aspecto vivo” do bairro, como a iluminação, a circulação dos pedestres e o comércio, substituindo assim, o sistema de monitoramento e vigilância comum nos centros urbanos.

Outro lugar que acredita na importância do brincar livre em contato com a natureza é o sítio de aventura das crianças (Kinderabenteuerhof, site em alemão), que fica no bairro de Vauban. O espaço permite que as crianças tenham experiências de atividades rurais. Para o diretor do sítio, Joachim Stockmaier, os riscos em um ambiente natural são importantes para o desenvolvimento da criança, “aqueles que não experimentam riscos na infância terão uma dificuldade enorme de encarar riscos reais mais tarde”.Sítio de aventura (Foto: Laura Leal)Sítio de aventura (Foto: Laura Leal)IMG_9864

Próximo ao sítio há um projeto de integração intercultural por meio da horticultura, o Zusammen Gärtern (site em alemão). A horta coletiva foi idealizada pelo proprietário do terreno que cedeu o espaço para que qualquer pessoa pudesse contribuir e desfrutar dos alimentos plantados. As crianças ali são os grandes elos que conectam as famílias que frequentam o espaço.

O caso de Vauban mostra que é possível trazer mais natureza para as cidades com um planejamento básico e iniciativas de baixo custo, aliados a participação dos moradores, em conjunto com o poder público. Para saber mais das experiências de Freiburg, que procuram contribuir para espaços públicos acolhedores para as crianças, acesse aqui o diário produzido durante a Missão Técnica.

O movimento global foi lançado na abertura do Rock in Rio 2017 e surge para ajudar a sociedade a acreditar em um futuro próspero e sustentável. 

O Believe.Earth nasce da necessidade de resgatar a crença das pessoas em um futuro melhor. O movimento procura mostrar que é possível transformar o mundo de maneira simples, amplificando iniciativas que já acontecem e inspirando milhões de pessoas para colocarem a mão na massa também.

“Precisamos que as pessoas acreditem que cada atitude conta e que este somatório fará toda a diferença. O Planeta tem urgência. Não dá para esperar mais. Sonhar é possível e a esperança transforma vidas hoje, agora”, conta Marcos Nisti, um dos idealizadores do movimento e CEO do Alana.

O movimento global foi lançado na abertura do Rock in Rio 2017, pela Gisele Bündchen, ativista de causas socioambientais. “Sonhos só se tornam realidade com perseverança, foco e dedicação. E eles ficam mais fortes quando sonhamos juntos”, disse ao mundo no festival de música.

A primeira iniciativa do Believe.Earth é um portal que reúne histórias de pessoas que já estão fazendo. O site será um espaço de boas notícias para inspirar e mostrar que é sim possível transformar e concretizar o sonho de um futuro melhor. Confira aqui algumas dessas histórias.

Além da presença virtual, o Believe.Earth fará parte também no dia a dia das pessoas, chamando atenção de forma inspiradora para que cada vez mais gente se junte a este movimento e se torne um believer.

Para fazer parte acesse o portal do Believe.Earth e fique ligado nas redes sociais:
– Facebook (https://www.facebook.com/believe.earth)
– Instagram (instagram.com/believe.earth)
– Twitter (https://twitter.com/believe_earth).