Tag: Criança e Natureza

0

Renata Meirelles e Estela Renner participam de debates; Sessões de filmes do VIDEOCAMP e Feiras de Trocas de Brinquedos complementam a programação do Alana na Virada

Entre os dias 25 e 28 de agosto acontece a 6ª edição da Virada Sustentável, o maior festival de educação e mobilização para a sustentabilidade do Brasil, em São Paulo. O Instituto Alana, um dos apoiadores do evento, participará com diversas atividades desenvolvidas por seus projetos, que acontecerão em diferentes pontos da cidade durante os quatro dias da Virada.

No primeiro dia, Antonio Lovato, do projeto ‘Escolas Transformadoras’, corealizado pela Ashoka e Instituto Alana, participa do ContAí, breves rodas de conversas seguidas de interação com o público, das 17h às 18h, na Unibes. Na sequência, Estela Renner, diretora do filme ‘O Começo da Vida’, representa a Maria Farinha Filmes, parceria do Instituto Alana, no debate ‘Cinema: Luzes, câmera, mudança!’. No dia 26, Renata Meirelles, diretora do documentário ‘Território do Brincar’, participa do seminário ‘Se essa rua fosse minha’ ao lado de outros educadores na UMAPAZ, no Parque do Ibirapuera, a partir das 9h.

No dia 27, Maria Helena Masquetti, psicóloga do Instituto Alana, participa de uma roda de conversa com outros três convidados para debater a temática da alimentação, consumo e desperdício, envolvendo mulheres e jovens dos bairros Jardim Lapenna e União de Vila Nova, e alunos do Colégio Bandeirantes de São Paulo, na zona leste. A conversa começa às 13h30 no Galpão de Cultura e Cidadania, na Rua Serra da Juruoco, 102, em São Miguel.

Por meio da plataforma VIDEOCAMP, serão exibidos os filmes ‘O Começo da Vida’ (25/08 às 15h; 27/08 às 16h e 28/08 às 16h) e ‘Muito Além do Peso’ (26/08 às 15h; 27/08 às 14h e 28/08 às 14h), na Biblioteca Villa Lobos, em Pinheiros. Ainda no bairro, o Quitanda, em sua primeira participação na Virada, também realiza, no dia 28, apresentações de três filmes da Maria Farinha Filmes: ‘O Começo da Vida’, às 11h; ‘Muito Além do Peso’, às 13h; e ‘Tarja Branca’, às 15h. Para participar da programação no Quitanda, é preciso se inscrever trinta minutos antes da atividade.

Ainda na programação do VIDEOCAMP, quatro unidades da ‘Fábrica de Cultura’ apresentam sessões do filme ‘A batalha do Passinho’, uma parceria da plataforma com o diretor Emílio Domingos. As exibições acontecem no Jaçanã (24/08, às 10h), Brasilândia (26/08, às 10h), Jardim São Luís (28/08, às 15h) e Vila Nova Cachoeirinha (28/08, às 19h).

Está prevista também a realização de duas feiras de trocas de brinquedos, organizadas pelas escolas CEU Pêra Marmelo nos dias 25 e 26 de agosto, das 10h às 16h (Rua Pêra Marmelo, 226 – Jaraguá), e Garatuja Educação Infantil, no dia 27 de agosto, das 10 às 14h (Rua Campevas, 432, Perdizes).

Como muitas das atividades da Virada são ao ar livre, o Criança e Natureza, projeto do Instituto Alana, elaborou dicas para as famílias aproveitarem a experiência na natureza e potencializarem o brincar das crianças. O curta metragem ‘Criança e Natureza’, que retrata a importância desse movimento, será exibido no auditório da Biblioteca Villa Lobos, no bairro Alto de Pinheiros nos dias 26 (às 15h), 27 (às 14h) e 28 (às 14hs). Ainda na biblioteca acontecem duas sessões do filme ‘O Começo da Vida’ (dias 27 e 28, às 16h), ambas precedidas do vídeo ‘Brincando com a Natureza nas Cidades’. Além disso, há sugestões de como fazer passeios na companhia de outras famílias. O conteúdo estará disponível no site da Virada Sustentável.

0

Nos dias 13 e 15 de julho, São Paulo e Rio de Janeiro, respectivamente, receberam o I Seminário Criança e Natureza organizado pelo recém lançado projeto do Instituto Alana, o Criança e Natureza. Pioneiro no Brasil, o evento procurou trazer informações e reflexões sobre a importância da conexão entre a criança e a natureza sob diferentes perspectivas: educação, saúde, cidades e meio ambiente.

Nas duas cidades o Seminário contou com uma roda de conversa com especialistas, com foco nos principais fundamentos e reflexões sobre o tema, uma vivência na natureza, conduzida pelo Instituto Romã e Instituto Árvores Vivas; conversas com organizações que já promovem a conexão de crianças e jovens com a natureza; e o lançamento do livro ‘A Última Criança na Natureza’ de Richard Louv, com palestra do autor. Tanto em São Paulo, como no Rio, os Seminários contaram com Cris Velasco, educadora e contadora de histórias, como mestre de cerimônia.

Em São Paulo, no Auditório da Bienal no Parque Ibirapuera, participaram Cecilia Herzog, professora de Projeto Urbano e Paisagismo na PUC-Rio; Daniel Becker, pediatra especialista em homeopatia; e Lea Tiriba, educadora-ambientalista. Participaram também a OUTWARD BOUND BRASIL (OBB), organização educacional, pioneira mundial em educação experiencial ao ar livre; e o Programa Rede da Vaga Lume, que faz a mediação entre educadores, escolas e ONGs da cidade de São Paulo e de comunidades rurais da Amazônia Legal brasileira.

Veja também:
– Espaço Alana na 7ª edição da Semana Mundial do Brincar
– Roda de conversa: a importância da empatia na educação
– ‘O Começo da Vida’ tem estreia mundial pelo VIDEOCAMP

No Rio de Janeiro, no Teatro Tom Jobim que fica dentro do Jardim Botânico, participaram a professora de Educação Ambiental Christiana Profice; a pedagoga Maria Amélia Pinho Pereira (Peo); o médico pediatra Ricardo Ghelman; e a canadense Suzanne Crocker que documentou nove meses de sua vida, isolada com o marido e os três filhos em uma pequena cabana no meio da floresta. Ser Criança é Natural, que promove encontros para pais e filhos, onde as crianças tem um contato direto e sensível com a natureza; e o Instituto Moleque Mateiro (IMM), criado com o objetivo de proporcionar momentos de prazer e aprendizado na natureza, participaram do evento carioca.

Além dessa intensa troca de experiências, o evento contou com a presença do jornalista norte-americano e especialista em advocacy pela infância Richard Louv, que lançou a edição em português do seu livro ‘A Última Criança na Natureza’ (‘The Last Child in the Woods’), que já vendeu mais de 500 mil exemplares e foi traduzido em 15 idiomas. O autor, referência no tema, cunhou o termo não médico Transtorno do Déficit de Natureza que busca chamar atenção para o impacto negativo da falta da natureza na vida das crianças.

Vivência realizada em São Paulo (Foto: Aline Arruda)
Maria Isabela Barros, consultora do Criança e Natureza, Daniel Becker, Cecilia Herzog, Lea Tiriba
Ana Lucia Villela e o jornalista Richard Louv (Foto: Aline Arruda)
Linha do tempo no Seminário de São Paulo (Foto: Aline Arruda)
Rita Mendonça conduzindo a vivência na natureza no Rio de Janeiro (Foto: Daniel Lobo)
Laís Fleury, coordenadora do projeto Criança e Natureza (Foto: Daniel Lobo)
Ricardo Ghelman, Peo, Cacau, professora de Educação Ambiental, Christiana Profice_RJ
Richard Louv e Suzanne Crocker no Rio de Janeiro (Foto: Daniel Lobo)
3
Imagem mostra crianças brincando na natureza. Foto de montanhas, e ilustração de dois meninos

A distância das crianças com a natureza vem aumentando nas últimas décadas com a urbanização desenfreada, o uso exagerado dos aparelhos eletrônicos e a destruição contínua das áreas verdes. As crianças estão passando mais tempo em ambientes fechados, crescem muitas vezes em meio à poluição e ao barulho, e estão hipnotizadas pelas telas, em um estilo de vida cada vez mais sedentário. O projeto Criança e Natureza surge da sensibilização do impacto negativo do Transtorno do Deficit de Natureza, termo este cunhado pelo autor do livro ‘A última Criança na Natureza‘, Richard Louv, tem na saúde e no desenvolvimento das crianças. Entendendo que o ambiente natural é o seu habitat, o projeto trabalha com o objetivo de garantir que as crianças cresçam e se desenvolvam em contato direto com a natureza.

“O tema da reaproximação das crianças com a natureza ainda é um debate desarticulado e pulverizado, por isso reunimos no site diversos recursos para que os pais, familiares, educadores tenham acesso a um espaço de consulta. Queremos comunicar a sociedade sobre a importância e os impactos positivos que o contato da criança com a natureza contribui para o desenvolvimento integral infantil e para a preservação do planeta”, explica Laís Fleury, diretora do Projeto Criança e Natureza.

No site, lançado nesta quarta-feira (20), além da biblioteca há uma lista com os benefícios de estar ao ar livre, um espaço para a divulgação das ações do projeto, e materiais para incentivar os adultos a levarem as crianças para a natureza, entre eles o Clube Natureza em família, que disponibiliza um manual de como reunir famílias para passarem mais tempo juntas na natureza. As estratégias e ações são desenvolvidas para envolver famílias, educadores e o poder público nessa missão de reaproximar as crianças da natureza.

Acesse o site: criancaenatureza.org.br

Acompanhe as novidades pelo Facebook do projeto.

 

X