Our Blog

0
Foto mostra duas crianças lendo em biblioteca, uma delas está em uma cadeira de rodas. Imagem representa a educação inclusiva

17¬™ edi√ß√£o do Expresso 227 convidou especialistas para conversar sobre a import√Ęncia da educa√ß√£o inclusiva desde o come√ßo da vida

 

A constru√ß√£o de um ambiente educacional para todos √© um compromisso que o Brasil assumiu h√° d√©cadas. Por√©m, recentemente sofremos tentativas de retrocesso: em setembro de 2020, foi publicado o Decreto 10.502/2020, que abre margem para escolas exigirem avalia√ß√Ķes para estudantes com defici√™ncia efetuarem matr√≠cula na escola comum e estabelece a implementa√ß√£o de classes especializadas em escolas regulares e de institui√ß√Ķes especializadas para pessoas com defici√™ncia. O Decreto foi provisoriamente suspenso em dezembro do mesmo ano, mas ainda falta uma decis√£o definitiva.

Para conversar sobre os retrocessos impostos por esse decreto e a import√Ęncia da inclus√£o desde o come√ßo da vida, aconteceu, no dia 28 de setembro, o ‚ÄúExpresso 227: o que acontece quando a educa√ß√£o √© inclusiva?‚ÄĚ. O encontro tamb√©m debateu as dificuldades que diversas fam√≠lias enfrentam para matricular crian√ßas com defici√™ncia em escolas regulares e apresentou experi√™ncias de implementa√ß√£o de pol√≠ticas educacionais inclusivas que trabalham para a garantia de direitos.

Participaram da conversa: Carolina Videira, idealizadora da Turma do Jil√≥, pesquisadora de viol√™ncia escolar, professora e coordenadora de p√≥s-gradua√ß√£o do Instituto Singularidades, m√£e do Jo√£o e da Maria; Margaret Pereira, professora de Educa√ß√£o Especial que atua na sala de recursos para alunos surdos da Escola Municipal Pedro II, em Santos; e Luciana Viegas, autista, professora da rede p√ļblica estadual de S√£o Paulo e idealizadora do Movimento Vidas Negras com Defici√™ncia Importam. A media√ß√£o foi feita por Let√≠cia Carvalho, assistente jur√≠dica do Instituto Alana.

Durante o bate-papo, as especialistas também refletiram sobre a inclusão como um  dever do Estado e também de toda sociedade e não uma luta exclusiva das famílias das crianças com deficiência, a partir do filme Um Lugar Para Todo Mundo, dirigido por Olivier Bernier, lançado em setembro, e coproduzido pela produtora estadunidense Rota6 e a produtora líder em entretenimento de impacto na América Latina, Maria Farinha Filmes. 

Carolina, que √© m√£e de Jo√£o, um menino com defici√™ncias m√ļltiplas, apontou que ao coloc√°-lo na escola, em 2008, se deparou com as dificuldades da comunidade escolar em entender o conceito da educa√ß√£o inclusiva e como coloc√°-la em pr√°tica. ‚ÄúN√≥s temos dificuldades na forma√ß√£o de professores no Brasil, n√£o temos a mat√©ria de educa√ß√£o especial em todas as faculdades, e quando ela √© oferecida √© de maneira te√≥rica‚ÄĚ, apontou. Foi ent√£o que criou a Turma do Jil√≥, uma organiza√ß√£o que visa garantir a educa√ß√£o inclusiva dentro das escolas p√ļblicas.

Margaret contou como a inclus√£o acontece na escola municipal em que trabalha h√° dez anos, e que √© modelo de educa√ß√£o inclusiva h√° duas d√©cadas. Tamb√©m apontou que ‚Äúa escola inclusiva √© uma escola que abra√ßa e que aposta na potencialidade de cada crian√ßa e n√£o nas suas defici√™ncias‚ÄĚ.

Luciana falou sobre a interseccionalidade entre as lutas antirracista e anticapacitista e sobre como a educa√ß√£o inclusiva acontece nas periferias. ‚ÄúQuando a gente fala de educa√ß√£o inclusiva, n√£o √© sobre pessoas com defici√™ncia. Pensar em educa√ß√£o inclusiva interseccionalizando isso com ra√ßa √© fundamental, porque sem ela a gente n√£o¬† consegue incluir nem pessoas pretas nas escolas, nem pessoas com defici√™ncia, muito menos pessoas pretas com defici√™ncia‚ÄĚ.

Concluindo o debate, Let√≠cia citou uma frase de Paulo Freire que sintetiza muitas das reflex√Ķes conjuntas: ‚Äúgosto de ser gente porque mesmo sabendo que as condi√ß√Ķes materiais, econ√īmicas, sociais, pol√≠ticas, culturais e ideol√≥gicas em que nos achamos geram quase sempre barreiras de dif√≠cil supera√ß√£o para o cumprimento da nossa tarefa hist√≥rica de mudar o mundo, sei tamb√©m que os obst√°culos n√£o se eternizam‚ÄĚ.

 

Exibido no canal do Instituto Alana no Youtube e no Facebook, o Expresso 227 re√ļne especialistas em diversas √°reas para debater temas que impactam as inf√Ęncias e adolesc√™ncias no Brasil e no mundo. Assista a √ļltima edi√ß√£o:

Comments ( 0 )

    Leave A Comment

    Your email address will not be published. Required fields are marked *

    X