Author: safira

Logo do evento "No ch√£o da escola‚ÄĚ e colagem em preto e branco de crian√ßa com os dedos enquadrando o horizonte

Acreditamos no potencial do cinema como ferramenta de transforma√ß√£o. Afinal, os filmes podem despertar em n√≥s novas reflex√Ķes sobre o mundo. Al√©m disso, t√™m a capacidade de mobilizar pessoas a protagonizar narrativas de mudan√ßa em suas comunidades e escolas.¬†

Para refletir sobre pontos de encontro entre o audiovisual e a educa√ß√£o, o Instituto Alana¬†celebra o dia dos professores com a estreia da iniciativa “No Ch√£o da Escola”.¬†O evento tem¬†patroc√≠nio do Videocamp.¬†

O encontro online aconteceu no dia 15 de outubro, das 19 às 21 horas. Ele contou com recursos de acessibilidade (legendagem em tempo real e intérprete de libras) e com a presença de profissionais da educação básica, cultura, cinema e direitos humanos. São eles:

  • S√īnia Beatriz dos Santos, professora da Faculdade de Educa√ß√£o da UFRJ;¬†
  • Day Rodrigues, cineasta, pesquisadora e educadora;¬†
  • Val Lima, coordenadora de forma√ß√£o do Instituto Criar de TV, Cinema e Novas M√≠dias;¬†
  • Adriana Fresquet, professora da Faculdade de Educa√ß√£o da UFRJ;
  • Felipe Barquete, fundador e coordenador do Semente Cinematogr√°fica;

Também participaram como mediadoras do evento a coordenadora de educação do Instituto Alana, Raquel Franzim, e a coordenadora da plataforma Videocamp, Josi Campos.   

Se a crian√ßa √© nossa prioridade. E quem educa deve receber tamb√©m toda a nossa dedica√ß√£o. A iniciativa do Instituto Alana busca fomentar encontros e produtos que valorizem e invistam na forma√ß√£o continuada de profissionais da educa√ß√£o b√°sica. Essa primeira forma√ß√£o do evento No Ch√£o na Escola marca o in√≠cio de muitas outras a√ß√Ķes que est√£o por vir.¬†

==========================================

Cinema e educação: sites para se aprofundar

  • App ‚ÄúCaixa de Inspira√ß√£o‚ÄĚ – constru√≠do em agosto de 2020 para compartilhar materiais gratuitos, em diversos formatos, relacionados ao tema da educa√ß√£o audiovisual:¬† https://bit.ly/Caixa_Semente
  • Programa de Apoio em Educa√ß√£o Audiovisual – concebido com o objetivo de compartilhar saberes e ferramentas de trabalho, al√©m de oferecer apoio pedag√≥gico aos educadores da educa√ß√£o b√°sica. Sua primeira edi√ß√£o foi 100% online e gratuita. O programa ocorreu em agosto de 2020, ap√≥s uma campanha de escuta de mais de 200 profissionais da educa√ß√£o de todo o pa√≠s durante a pandemia. Todo o conte√ļdo da primeira edi√ß√£o est√° dispon√≠vel no site: https://bit.ly/Site_ProgramadeApoio
  • Inventar com a Diferen√ßa: cinema, educa√ß√£o e direitos humanos –¬† site que busca compartilhar saberes e pr√°ticas para que todos aqueles interessados em levar o cinema e os direitos humanos para a educa√ß√£o possam faz√™-lo: http://www.inventarcomadiferenca.com.br /¬†

> Cadernos do Inventar –¬† material oferece uma forma√ß√£o b√°sica para realiza√ß√£o de oÔ¨Ācinas de cinema ligada aos direitos humanos nas escolas: https://www.academia.edu/30703627/Cadernos_do_Inventar_com_Diferen√ßa

  • Canal Semente Cinematogr√°fica – Canal no Youtube com mais de 40 filmes feitos em escolas e ONGs, al√©m de reflex√Ķes e materiais de refer√™ncia na √°rea: http://bit.ly/Semente_CanalYoutube

Em especial, destacamos três filmes:

> Carta-semente (2020) https://youtu.be/J46_8wR_5gg

[Filme-carta Р38 min РJoão Pessoa/PB Р2020] 

Sinopse: Uma carta audiovisual feita com fragmentos das experiências de educadoras e educandos durante a realização do projeto Cartografia de imagens, que implementou 4 Escolas Vivas de Cinema no Estado da Paraíba.

> Rio de Memórias (2019) https://youtu.be/hoCkhAZPO8c

[Documentário Р14 min РParaíba Р2019]

Sinopse: As crianças do quilombo Gurugi-Ipiranga (Conde/PB) te convidam para uma imersão audiovisual nos rios e nas memórias da comunidade sobre um modo de vida integrado com a natureza.

> A roda das gera√ß√Ķes do coco (2018)https://youtu.be/iuDmp-RTN6c¬†

[Documentário Р17 min РParaíba Р2018]

Sinopse: A dan√ßa de roda que cria e une gera√ß√Ķes – o encontro das crian√ßas do grupo Clamores Antigos com os mais velhos integrantes do coco de roda Novo Quilombo, da comunidade quilombola Gurugi-Ipiranga (Conde/PB).

Artigos e livros

Artigos

Livros

Paisagem com a região do Jardim Pantanal visto de cima. Na imagem há várias casas e ao fundo há o céu azul

Situado na Zona Leste de São Paulo, o Jardim Pantanal tem recebido atenção especial do Instituto Alana há 26 anos. A principal missão é fomentar o desenvolvimento da comunidade por meio do programa Espaço Alana. Desse modo, é possível contribuir com o futuro das famílias da região, que vivem em contexto de vulnerabilidade social.

As a√ß√Ķes priorit√°rias envolvem cria√ß√£o de estrat√©gias, em conjunto com os moradores, para reivindicar pol√≠ticas p√ļblicas. Para alavancar esse processo, o Alana desenvolveu, em 2019, alguns estudos sobre o territ√≥rio.

Foram analisados dados sobre habita√ß√£o, concentra√ß√£o de empregos, mobilidade, renda e oferta de equipamentos p√ļblicos de sa√ļde, educa√ß√£o e cultura.

As informa√ß√Ķes obtidas com os estudos sobre o Jardim Pantanal resultaram na elabora√ß√£o de um¬†diagn√≥stico socioecon√īmico e f√≠sico-territorial do bairro. Al√©m disso, foi produzido um¬†diagn√≥stico jur√≠dico,¬†com intuito de iniciar um processo de regulariza√ß√£o fundi√°ria.¬†

Ambas as consultorias t√©cnicas evidenciam altos √≠ndices de vulnerabilidade e a latente necessidade de apoio do poder p√ļblico.¬†

Como forma de complementar as leituras territoriais, foram levantados os projetos existentes para a regi√£o e que prop√Ķem estrat√©gias, diretrizes ou interven√ß√Ķes f√≠sicas que podem influenciar a √°rea.

Diagnósticos do Alana no Jardim Pantanal

>>Acesse o diagnóstico jurídico completo: http://bit.ly/diagnostico_jurídico

>>Acesse o diagn√≥stico socioecon√īmico e f√≠sico-territorial completo: http://bit.ly/socioeconomico_territoria

Mais do que identificar as complexidades e os desafios do territ√≥rio, o Instituto Alana busca o di√°logo com diferentes atores, como moradores, institui√ß√Ķes da sociedade civil e √≥rg√£os p√ļblicos, para que juntos contribuam para a melhoria da qualidade de vida e bem-estar socioambiental do Jardim Pantanal, operando na garantia de direitos ‚Äď sobretudo do direito √† cidade.

Foto: M√°rcia Duarte

Texto: inf√Ęncia plastificada. Desenho de setas formando c√≠rculo com alguns desenhos, como um brinquedo de pl√°stico e uma TV

Publicidade, desejo, consumo e descarte. Essa √© a rela√ß√£o direta encontrada pela pesquisa ‚ÄúInf√Ęncia Plastificada: O impacto da publicidade infantil de brinquedos pl√°sticos na sa√ļde de crian√ßas e no ambiente‚ÄĚ. O estudo √© pioneiro no assunto e revela que 90% dos brinquedos no mundo s√£o feitos a partir de algum tipo de pl√°stico. Muitos desses materiais cont√™m subst√Ęncias t√≥xicas e potenciais causadoras de c√Ęnceres e problemas hormonais.

‚ÄúQuando a gente entra no quarto de uma crian√ßa pode acontecer de ter aquela famosa caixa de brinquedos. Ao abri-la, voc√™ consegue sentir o odor dos vol√°teis e inala diversos componentes‚ÄĚ, descreve a coordenadora da pesquisa, V√Ęnia Zuin. Professora e qu√≠mica, ela esteva na conversa de lan√ßamento da publica√ß√£o, organizada pelo Crian√ßa e Consumo. O evento ocorreu durante a Semana Sem Pl√°stico.¬†

Descartabilidade

Estima-se que, no Brasil, entre 2018 e 2030, sejam produzidos 1,38 milhão de toneladas de brinquedos de plástico. E apenas no mercado formal. Muitos deles são compostos também por pigmentos, brilho, glitter, entre outros. Isso torna o processo de separação de materiais para reciclagem ainda mais complexo, caro e inviável. Além disso, o produto pode permanecer no meio ambiente por séculos. 

As embalagens geram problemas ao meio ambiente pela sua rápida descartabilidade. O estudo estimou a geração de 582 mil toneladas de plástico, nos mesmos doze anos, no país.

‚ÄúMetade de todo o pl√°stico produzido na hist√≥ria da humanidade foi feito nos √ļltimos 15 anos. Ent√£o, o problema √© muito recente. Quando a gente olha para a quest√£o do consumismo, principalmente na inf√Ęncia, √© importante pensar quais s√£o os valores e h√°bitos que estamos passando para as crian√ßas. Estamos passando a descartabilidade de materiais, bem como da vida, pois contaminamos outras seres humanos, animais marinhos e o meio ambiente todo‚ÄĚ, alerta JP Amaral, mobilizador do Crian√ßa e Consumo.¬†

Ind√ļstria de brinquedos de pl√°stico

A ind√ļstria de brinquedos tem alimentado a cultura de consumo e descarte desenfreado de pl√°stico por meio de estrat√©gias de marketing direcionadas √†s crian√ßas. No entanto, no Brasil, a publicidade infantil √© considerada ilegal e abusiva. Ainda assim, o setor de brinquedos √© campe√£o de an√ļncios dirigidos a este p√ļblico, principalmente em plataformas digitais e canais infantis da TV a cabo.

Assim, a publica√ß√£o ressalta solu√ß√Ķes poss√≠veis a fim de propor caminhos que contribuam para proteger as crian√ßas e o meio ambiente. Entre elas est√£o a efetiva proibi√ß√£o da publicidade infantil e o desenho de novos brinquedos verdes e sustent√°veis. Al√©m disso, o est√≠mulo √† economia circular, o brincar livre na natureza e o incentivo √† troca de brinquedos.

A pesquisa foi conduzida pelo Grupo de Estudos e Pesquisa em Química Verde, Sustentabilidade e Educação (GPQV), da Universidade Federal de São Carlos (UFSCar), a pedido do Programa Criança e Consumo, do Instituto Alana.

Acesse aqui a pesquisa completa. 

X