Author: laura

2

“É fundamental que se realizem pesquisas e que se desenvolvam tecnologias que assegurem às pessoas com deficiência a possibilidade de adquirir competências práticas e sociais para facilitar sua participação nos sistemas de ensino, trabalho e na vida em comunidade”. 

Trecho da declaração conjunta do Alana e do MIT, 20 de março de 2019

O Alana Foundation, braço filantrópico do Alana criado em 2012 e sediado nos Estados Unidos, doará US$ 28,6 milhões ao MIT (Instituto de Tecnologia de Massachusetts), para estimular o desenvolvimento de novas pesquisas tecnológicas e multidisciplinares. Faz parte dessa iniciativa a criação do Alana Down Syndrome Center; um programa de tecnologia para o desenvolvimento de pesquisas que possam melhorar a vida de pessoas com deficiência; e bolsas de estudo.

A doação, formalizada em 20 de março, dará origem ao Alana Down Syndrome Center, hospedado pelo Picower Institute for Learning and Memory do MIT, e que envolverá o conhecimento de cientistas e engenheiros em uma iniciativa para aprofundar o conhecimento biológico e neurocientífico da síndrome de Down. O centro, que será liderado pelas cientistas Angelika Amon – especialista na compreensão das instabilidade cromossômica – e Li-Huei Tsai – reconhecida pelo seu trabalho com doenças degenerativas, incluindo a doença de Alzheimer – também oferecerá novas oportunidades para jovens cientistas e estudantes de todo mundo por meio de bolsas de estudo.

Já o programa de tecnologia será em parceria com o Deshpande Center for Technological Innovation (“Tecnologia para Fomentar Habilidades”) do MIT, em que pesquisadores receberão apoio e incentivo para projetar e desenvolver tecnologias que possam ampliar a qualidade de vida e a autonomia de pessoas com deficiência. Juntos, o centro e o programa, ajudarão a acelerar a criação, desenvolvimento e testes de novas tecnologias que visam ampliar a qualidade de vida de pessoas com deficiência e poderão aumentar sua participação e inclusão na educação, no trabalho e na comunidade.

Assista à declaração conjunta do Alana e do MIT:

 

A doação feita pelo Alana Foundation apoia a MIT Campaign for a Better World, iniciada publicamente em 2016 com a missão de avançar o trabalho da MIT em educação, pesquisa e inovação, para atender aos desafios mais urgentes da humanidade.

0
Pessoas passam a mão em um figurino que mostra um boi, colorido e cheio de enfeites folclóricos.

Resgate cultural, música e diversão: o evento reuniu a comunidade do Jardim Pantanal em um dia movimentado e inspirador!

Para comemorar o Dia Nacional do Bumba Meu Boi, celebrado em 30 de junho, a Biblioteca Espaço Alana organizou no Jardim Pantanal, zona leste de São Paulo, a ‘Festa ao Boi Pantaneiro’, inspirada na obra de Luís da Câmara Cascudo, importante folclorista brasileiro.

A celebração, que aconteceu no dia 28 de junho, contou com um cortejo pelas ruas do bairro com o boneco do Boi Pantaneiro criado pela Biblioteca do Espaço Alana. Rodeado por crianças, jovens e idosos moradores da região, o Boi se encontrou com o Fogueira, boneco de Bumba Meu Boi do Núcleo Sociocultural Humaitá, que também participou do cortejo. O Humaitá é uma rede de coletivos que pesquisam, estudam e desenvolvem ações artísticas e culturais tendo como referência principal as culturas populares e tradicionais brasileiras.

Além da participação da comunidade do Jardim Pantanal, a Festa ao Boi Pantaneiro contou com a presença do Cordão Folclórico de Itaquera Sucatas Ambulantes, que tem como sede o Núcleo Sociocultural Humaitá, e da Banda Alana, que no dia recebeu o nome de ‘Orquestra Pantaneira’.

A Festa, que buscou resgatar a história e as relações culturais e de identidade presentes na tradição do Bumba Meu Boi, chegou até Daliana Cascudo, neta do folclorista que inspirou a realização do evento! Viva o Boi!

Festa ao Boi Pantaneiro no Jardim Pantanal. Foto: Márcia Duarte
Festa ao Boi Pantaneiro no Jardim Pantanal. Foto: Márcia Duarte
Festa ao Boi Pantaneiro no Jardim Pantanal. Foto: Márcia Duarte
Festa ao Boi Pantaneiro no Jardim Pantanal. Foto: Márcia Duarte
1

A iniciativa da Semana aqui no Brasil é da Aliança pela Infância e está vinculada ao Dia Mundial do Brincar, celebrado em 28 de maio. 

Entre os dias 21 e 27 de maio, o Espaço Alana celebrou a 8ª Semana Mundial do Brincar com muita música, brincadeiras, contação de histórias, circuito de atividades físicas e oficinas de construção de brinquedos! O tema da edição deste ano foi “O Brincar que Encanta o Tempo”, para propor a reflexão sobre o poder que as crianças têm de encantar os lugares onde o brincar acontece.

Na abertura no Espaço Alana, o público curtiu um show da Banda Alana e, em seguida, se divertiu com pinturas de rosto e brincadeiras tradicionais, como corda, pião, amarelinha etc. No dia 22, no auditório do Espaço Alana, aconteceu o 2º Painel Infância e Ludicidade, que reuniu 150 educadores de São Miguel Paulista e região para atividades relacionadas ao tema “Tempo de Leitura: A Literatura é um Universo de Brincar!”. Durante o painel, o Espaço recebeu Cláudio Oliveira e Felipe Surian para uma contação de história e Adriana Friedmann e Renata Meirelles para uma roda de conversa com educadores. Para encerrar, um sarau com poetas da terceira idade.

Ao longo da semana, aconteceram apresentações para crianças da Cia BuZum de teatro itinerante, com o espetáculo ’13 Gotas’, uma Feira de Trocas de Brinquedos e uma oficina de desenhos realizada pelo coletivo Arte e Cultura na Kebrada. Para encerrar a semana, o pocket show ‘Vila de Fábulas’, com Eduardo Sena e banda, e apresentação musical do Cordão folclórico de Itaquera Sucatas Ambulantes.

Ao longo da Semana cerca de 2 mil pessoas passaram pelo Espaço Alana, entre crianças, adolescentes e educadores da região. Foi uma semana animada e divertida, que venha a próxima edição!

Semana mundial do Brincar no Espaço Alana. Foto: Márcia Duarte
Semana mundial do Brincar no Espaço Alana. Foto: Márcia Duarte
Semana mundial do Brincar no Espaço Alana. Foto: Márcia Duarte
Semana mundial do Brincar no Espaço Alana. Foto: Márcia Duarte
Semana mundial do Brincar no Espaço Alana. Foto: Márcia Duarte
X